Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




História de Santa Ana e São Joaquim

por John Soares, em 30.08.19

capa_18605.jpg

História de Santa Ana e São Joaquim

 

Ana era mulher de Joaquim, ambos judeus, e viviam em Israel e numa época onde a Igreja vivia um período de ansiedade e tensão por conta da tão anunciada e esperada promessa da chegada do Messias.

Ana, já em idade avançada, não tinha filhos e isso era causa de desgosto e até mesmo vergolha para ela, já que toda mulher judia na época poderia carregar o Salvador em seu ventre. Mas, Joaquim e Ana eram muito devotos e cheios de fé e esperança nunca deixaram de rezar e pedir por esse milagre, até que Ana engravidou.

Ana dizia: “Se Deus vive e se eu conceber um filho ou filha será um dom do meu Deus e eu servirei a Ele toda a minha vida.”

Eles definitivamente foram escolhidos para serem pais daquela que viria a ser a mãe do filho de Deus. Poucos são os dados históricos encontrados sobre eles, mas sabe-se que Maria nasceu primeiramente sob o nome de Miriam (em hebraico - Senhora da Luz) e depois passou a ser chamada apenas de Maria, no latim.

E a partir desse dia, toda a vergonha transformou-se em alegria e orgulho, pois Ana e Joaquim ganham o título de pais da Mãe do Filho de Deus. Ana cumpriu a sua promessa e ofereceu Maria a serviço de Deus, no templo, quando ela tinha 3 anos.

 

Comemoração e celebração

Sabe-se que inicialmente apenas Santa Ana era celebrada, por ser a mãe daquela que viria gerar o filho do Salvador, mas no ano de 1584, São Joaquim também passou a ser celebrado e apenas em 1913 a data foi oficialmente reconhecida pela Igreja Católica como “Dia dos Avós”

Foi no V Evento Mundial da Família na Espanha que o papa Bento XVI falou da importância dos avós para as famílias católicas e reforçou o quanto os avós podem ser e na maioria das vezes são a certeza do afeto e da ternura que todo ser humano precisa dar e receber.

Certamente é uma data muito importante e bonita para ser comemorada, lembrada e celebrada e é por isso que nós, da Sagrada Família, te incentivamos a abraçar seus avós, presenteá-los e demonstrar todo o carinho e amor que vocês sentem por eles.

Para aqueles que já não estão mais entre nós, vale uma oração de agradecimento, uma vela acesa ou qualquer outra homenagem para que esse dia não passe em branco.

 

Oração aos Avós

Ó DEUS eterno e todo-poderoso, em vós vivemos, nos movemos e somos.
Nós vos louvamos e bendizemos por terdes dado a estes vossos filhos e filhas, nossos queridos vovôs e nossas queridas vovós, uma vida longa com perseverança na fé e em boas obras.
Concedei que eles, confortados pelo carinho dos filhos, netos e amigos, se alegrem na saúde e não se deixem abater na doença, a fim de que, revigorados com a vossa bênção, consagrem o tempo da idade madura ao vosso louvor, seguindo os exemplos de São Joaquim e de Santa Ana, que na fidelidade à Palavra de Deus, cumpriu sempre a vontade de servir e de amar a todos.
Por Cristo, nosso Senhor.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:16


A história de São Cristóvão

por John Soares, em 30.08.19

capa_18605.jpg

A história de São Cristóvão

No dia 25 de Julho é comemorado o dia do padroeiro dos motoristas e viajantes, São Cristovão. Mas você sabe porque ele tem esse título? O nome Cristovão não é o seu nome de batismo e carrega o significado de “condutor de Cristo” além de também representar uma das devoções mais populares e antigas da Igreja Católica e do Brasil.

 

História

Seu verdadeiro nome era Réprobo e pouco se sabe sobre a sua origem. Diz-se que ele era um homem muito alto, forte, da linhagem Cananéia e por conta disso, sua profissão era ser um guerreiro. Graças ao seu porte físico, não havia um que o vencesse. Sua presença quase sempre era sinônimo de vitória.

Mas algo um dia perturbou a mente de Cristovão. Enquanto servia o Rei de Canaã, se deu conta que ele deveria trabalhar para o maior rei de todos, o mais poderoso, e saiu em busca dessa figura. Encontrou um rei mais forte e passou a servi-lo.

Em uma das festas do reino, durante uma festa, algumas cantigas e canções estavam sendo cantadas para o rei e continham em sua letra citações ao demônio. Toda vez que era citado, o rei fazia o sinal da cruz. Intrigado, Cristovão perguntou ao rei do que se tratava aquele sinal e ele disse que era uma proteção contra qualquer má intenção ou coisas ruins vindas daquela figura. Sendo assim, Cristovão concluiu que o demônio era mais poderoso que o rei e por isso devia servi-lo.

Saiu em mais uma jornada atrás de seu novo “mestre” e durante sua caminada por um deserto o encontrou. Enquanto caminhavam juntos, Cristovão notou que o demônio ao avistar uma cruz, desvio o caminho e percorreu uma distância muito maior afim de não passar perto dela. Cristovão, intrigado, questionou o demônio que confessou: “Houve um homem chamado Jesus Cristo que, por meio de Sua morte na Cruz, trouxe a salvação para a humanidade, e quando vejo Seu sinal, fico apavorado e fujo dele”.

Na mesma hora, Cristovão entendeu que era a Jesus Cristo era mais poderoso e por isso saiu em uma busca incansável ao seu novo Senhor. Durante a caminhada, encontrou um senhor e perguntou como poderia encontrar Jesus Cristo. O velho eremita disse que ele deveria jejuar e orar, mas Cristovão disse que não seria possível. Sendo assim, o eremita pediu que ele se instalasse a beira de um rio que existia ali perto, de travessia dificil, para ajudar a todos que quisessem passar por ele e por amor a Jesus Cristo iniciou a sua missão.

Dia e noite ajudava as pessoas a atravessar o rio, até que em uma noite escutou uma criança chamá-lo para ajudá-la a atravessar a margem do rio. Cristovão colocou a criança nos ombros e iniciou a travessia. A criança era tão pesada que Cristovão, mesmo forte, temeu se afogar e por várias vezes pensou estar carregando o mundo nas costas. Ao deixar a criança do outro lado do rio, comentou sobre o seu peso e eis que teve a sua revelação: “Bom homem, respondeu-lhe o menino, não te espantes, pois não só carregaste o mundo inteiro como também o dono do mundo. Eu sou Jesus Cristo, o Rei que estás a servir neste mundo, e, para que saibas que digo a verdade, põe teu cajado no chão junto à tua casa e amanhã verás que ele estará coberto de flores e de frutos”.

 

O milagre do cajado de São Cristovão

Depois desse dia, Cristovão partiu para Lícia ao encontro de cristãos que estavam presos. Quando foi descoberto, apanhou muito de seus perseguidores e quando todos achavam que ele seria derrotado, jogou o seu cajado no chão pedindo a Jesus Cristo que o florisse novamente. E assim aconteceu, diante de mais de 8 mil pessoas.

Imediatamente Cristovão foi levado ao rei, que tentou de todas as maneiras fazer com que desistisse e renunciasse a sua fé mas ele permanceu inabalável. Sua fé era tão forte quanto o seu corpo. O rei ainda tentou fazê-lo pecar, mas foi em vão. Depois de várias tentativas, o rei mandou executá-lo e Cristovão morreu decapitado.

Após esse episódio, a fama de Cristovão espalhou-se muito rapidamente atingindo assim mais e mais devotos ao longo do mundo.

 

O padroeiro dos motoristas

Após o episódio da criança no rio, Réprobo assumiu o nome de Cristovão (carregador de Cristo) e por isso é considerado o padroeiro dos motoristas, condutores e viajantes já que um dia carregou o menino Jesus nos ombros.
Sua imagem representa exatamente esse momento: o menino Jesus em seus ombros e o cajado na mão.

 

Oração à São Cristóvão

Dai-me, Senhor, firmeza e vigilância no volante para que eu chegue ao meu destino sem acidentes.
Protegei os que viajam, a todos, e a dirigir com prudência, e que eu descubra vossa presença na natureza, nas rodovias, nas ruas, nas criaturas, e em tudo aquilo que me rodeia.
São Cristóvão, protegei-me e ajudai-me nas minhas idas e vindas a saber viver com alegria, agora e sempre.
Amém!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:06


História de Santa Clara

por John Soares, em 30.08.19

capa_18605.jpg

História de Santa Clara

 

Dia 11 de Agosto foi dia de relembrar e celebrar a vida e obra de Santa Clara de Assis, ou simplesmente Santa Clara. O “Assis” que acompanha o seu nome, como muitos devem imaginar vem de São Francisco de Assis. Assim como ele, Santa Clara marcou uma época e trouxe para a Igreja Católica mais uma linda história de amor, devoção e fé.

 

História

Santa Clara nasceu no ano de 1194 em Assis, na Itália. Aos 18 anos, em um Domingo de Ramos, ela fugiu da casa dos pais rumo a capela de Porciúncula, onde ali foi recebida por São Francisco de Assis e seus discípulos. Naquela noite, a vida de Santa Clara começara a mudar. Foi ali, que São Francisco cortou seus lindos cabelos loiros (tal ato era considerado um voto de pobreza e de certa forma uma exigência para a entrada na vida religiosa) e através desse ato, foi firmada a sua união com Jesus Cristo.

Depois disso, ela segue para o mosteiro das Beneditinas de Sant’Angelo di Ponzo onde tempos depois recebe sua irmã mais nova, Catarina, que também quer seguir a vida monástica junto da irmã. E ali, ela passa a ser chamada de Santa Inês.

O pai das duas, revoltado, envia um tio chamado Monaldo para resgatar a filha viva ou morta. Monaldo consegue alcançar Santa Inês, que sofre agressões e é arrastada pelo tio montanha abaixo. Nesse momento, ela chama pela irmã Clara, que começa a rezar impiedosamente pela irmã e um milagre se instaura: Santa Inês fica tão pesada que torna impossível o ato de arrastá-la no chão e mesmo assim, Monaldo não se dá por vencido e tenta agredi-la com um golpe, mas imediatamente sente a mão se contrair. Sem saber mais como agir, ele desiste de levar Santa Inês e foge.

Em 1198, ocorreu uma invasão mulçumana à Assis e em meio a muita pobreza e necessidade aconteceu um fato que consagrou Santa Clara para sempre na história. Os mulçumanos tentaram invadir o convento e Santa Clara, mesmo acamada e doente, fez questão de ir até o portão de entrada. Ali, em lágrimas, ela conseguiu pegar o ostentório com o Santíssimo Sacramento e proferir as seguintes palavras:

“Senhor, guardai Vós estas vossas servas, porque eu não as posso guardar”.

Ouviu-se então uma voz de maravilhosa suavidade dizendo:

“Eu te defenderei para sempre”.

Imediatamente os mulçumanos são tomadas por um medo descomunal e fogem, deixando o convento intacto e a salvo.

 

Padroeira da comunicação de da televisão

Santa Clara faleceu no dia 11 de Agosto de 1253 e 1 ano antes, vivenciou um episódio que a consagraria mais tarde como a padroeira da comunicação e da televisão. Já muito doente e sem condições de se locomover, Santa Clara insiste em ir à uma missa na Igreja de São Francisco de Assis. Sabendo da impossibilidade, caiu em oração e teve o seu desejo atendido.

A missa começou a ser “transmitida” em seu quarto, no convento, como se fosse uma projeção. O fato foi realmente confirmado quando Santa Clara relatou em detalhes partes da missa e do sermão que posteriormente foi confirmada pelos presentes na missa.

Tal fato então veio a consagrá-la com esse título, que foi oficializado pelo Papa Pio XII em 1958.

 

Oração à Santa Clara

Ó querida Santa Clara, que respondeste generosamente ao chamado do Senhor, entregando-te a uma vida de humildade e pobreza, ajuda-me, pela tua intercessão, a descobrir qual é o plano de Deus para a minha existência, alcança-me a coragem de dizer um sim generoso como o teu, como o de Maria, e a fidelidade em concretizá-lo todos os dias até o fim. Amém!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:09


Nossa Senhora Rainha, Mãe da Igreja

por John Soares, em 30.08.19

capa_18605.jpg
Nossa Senhora Rainha, Mãe da Igreja

 

No dia 22 de Agosto a Igreja Católica celebra a vida e memória de Nossa Senhora Rainha, a mãe da Igreja, também carinhosamente conhecida como Mãe Rainha.

Esse título vem da realeza de Maria, mãe de Jesus, a principio era chamada apenas de “Mãe do meu Senhor” (por sua prima Isabel) e mais tarde “Mãe do Rei” e “Mãe do Nosso Senhor” (por escritores eclesiáticos).

Foi no ano de 1954 que o Papa Pio XII instituiu e definiu a “realeza de Maria” para todos. Sua importância dispensa apresentações e explicações pois já sabemos o quanto Maria se dedicou a sua fé e jamais titubeou perante as adversidades.

Ela é a mais santa das santas, a mais pura e por isso merece ser sempre lembrada e celebradas com todos os títulos e nomes que recebeu e recebe até hoje. Nossa Mãe Rainha, desde a encarnação de Deus, participou com afinco dos Mistérios da sua vida como discípula sem nunca relutar ou duvidar de sua designação católica.

Até mesmo sua maternidade, e a responsabilidade de carregar em seu ventre “o Salvador”, não a impediu de continuar firme no seu propósito com Deus. E é por isso que ela é a Nossa Mãe Rainha. E é por isso que clamamos alto “Salve Rainha”. E repetindo as palavras do Papa Pio XII:

 

“A Jesus por Maria. Não há outro caminho”.

 

Oração de Salve Rainha

Salve rainha, mãe de misericórdia, vida doçura e esperança nossa, salve!
a vós bradamos, os degredados filhos de Eva, a vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia pois advogada nossa.
Esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei!
e depois desse desterro, mostra-nos Jesus bendito fruto do vosso Ventre,
ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria
rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de cristo.
Amém.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:59


História de Nossa Senhora do Carmo

por John Soares, em 30.08.19

capa_18605.jpg
História de Nossa Senhora do Carmo

O nome de Nossa Senhora do Carmo está totalmente ligado a região do Monte Carmelo (em hebraico, “carmo” significa vinha; e “elo” significa senhor; portanto, “Vinha do Senhor”). Foi ali que os profetas Elias e Eliseu se refugiaram, tornando o lugar o cenário de um dos acontecimentos mais importantes do Antigo Testamento e onde se reuniram e juntos construíram uma pequena capela em homenagem a Nossa Senhora e por isso ganharam o nome de “Ordem dos Carmelitas”.

Esse local não foi escolhido à toa, já que é considerado um local sagrado, principalmente por conta das ações do profeta Elias que em questão teve como prova de Deus sua manifestação o defendendo e mostrando que era o único Deus.

Um tempo depois, a Ordem foi para a Europa onde enfrentaram tempos muito difíceis. Mas foi ali que São Simão Stock consagraria a história e origem do escapulário. O ano era 1251 e São Simão estava orando e pediu um sinal de proteção a Nossa Senhora contra os seus possíveis inimigos. Foi ali que recebeu dEla um escapulário com a promessa de proteção para todos aqueles que o usassem.

"Recebe, filho amado, este escapulário. Todo o que com ele morrer, não padecerá a perdição no fogo eterno. Ele é sinal de salvação, defesa nos perigos, aliança de paz e pacto sempiterno”.

Depois desse episódio, os carmelitas ficaram conhecidos como uma das maiores ordens da Igreja Católica. A ordem dos Carmelitas proveu para o mundo muitos santos importantes da história como: Santa Tereza D'Ávila, Santa Terezinha do Menino Jesus, São João da Cruz e inúmeros outros. 

Oração à Nossa Senhora do Carmo

"Ó Senhora do Carmo, revestido de vosso escapulário,
eu vos peço que ele seja para mim sinal de vossa maternal proteção,
em todas as necessidades, nos perigos e nas aflições da vida.

Acompanhai-me com vossa intercessão,
para que eu possa crescer na Fé, Esperança e Caridade,
seguindo a Jesus e praticando Sua Palavra.

Ajudai-me, ó mãe querida, para que, levando com devoção vosso santo Escapulário,
mereça a felicidade de morrer piedosamente com ele, na graça de Deus,
e assim, alcançar a vida eterna ... Amém."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36


História de São João Batista

por John Soares, em 22.08.19

ui.jpg

História de São João Batista

 

Qualquer dia é dia de comemorar a vida e história de um dos santos mais importantes da Igreja Católica, o São João Batista.

 

São João é conhecido popularmente como “santo festeiro”, mas na tradição católica é considerado o santo mais próximo de Jesus Cristo pois além de ser seu primo, João foi o responsável pelo batismo de Cristo no Rio Jordão.


É conhecido até hoje como São João Batista justamente por conta da sua fé e devoção com o ritual do batismo e junto com a Virgem Maria, o único santo onde a liturgia lembra a data de seu nascimento e não da sua morte.

 

História

Ao atingir maturidade, foi enviado para o deserto para se preparar com orações e penitências sempre aceitando tudo com muita devoção e convertendo e catequizando as pessoas por onde passava e anunciando também a vinda do Messias. 

 

Devido a isso, passou a ser chamado de “Profeta” e ao ver Jesus andando em sua direção, disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” e mesmo não se achando digno de batizar Jesus, o faz com muito amor, fé e respeito.

Após o batismo, Jesus continua no seu caminho e João na sua missão de denunciar as injustiças, o abuso de poder, as imoralidade, as ofensas as leis de Deus, o que infelizmente o levou a ser de preso por Herodes. Mesmo preso, João condenou a atitude de adultério do rei, que vivia com a esposa do irmão. Os chamou para a conversão e penitência, mas Herodes foi influenciado pela filha a pedir a morte de João, que foi decapitado.

 

Significado e celebração

São João Batista é sinônimo de bondade e gratidão. Sempre muito lembrado por essas virtudes, João foi um homem humilde que aceitou a sua missão com fé e devoção Cristã até o fim. E é esse exemplo que temos que levar adiante e nos lembrar no dia de hoje.

“O maior dos profetas” nos ensinou a confiar e a acreditar no maior, ao pregar e anunciar a vinda do Messias. Não é a toa que celebramos o seu nascimento e não a sua morte. João foi o escolhido para dar testemunho da luz da Verdade, aquela que veio para nos mostrar quem é Jesus Cristo.

 

Oração

São João Batista, voz que clama no deserto: 
"Endireitai os caminhos do Senhor... fazei penitência, porque no meio de vós está quem não conheceis e do qual eu não sou digno de desatar os cordões das sandálias", 
Ajudai-me a fazer penitência das minhas faltas para que eu me torne digno do perdão daquele que vós anunciastes com estas palavras: 
"Eis o Cordeiro de Deus, eis aquele que tira os pecados do mundo". 
Amém!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:11


História de São Jorge

por John Soares, em 22.08.19

-o.jpg

História de São Jorge

 

A história de São Jorge é cheia de lendas e controvérsiasdevido a grande popularidade do santo não só na religião católica. Há muita polêmica envolvida em torno da sua existência pelo fato de não existir nada concreto sobre ele, mas o que sabemos é que na época em que foi nomeado santo era comum a canonização acontecer através da votação popular mesmo que sua vida não fosse exemplar.


Mas o que se sabe é que Jorge era filho de pais cristãos, nascido na região da Capadócia e criado na Palestina onde foi promovido capitão do exército romano aos 23 anos de idade.

 

Como se é conhecida, essa época ficou marcada pela constante perseguição do imperador Diocleciano aos cristãos e Jorge da Capadócia (como era conhecido) não escapou.


Por diversas vezes Diocleciano tentou fazer com que Jorge desistisse de sua fé, torturando-o de várias maneiras, mas ele permaneceu firme e forte.


Depois de inúmeras tentativas frustradas, Diocleciano não viu outra saída a não ser mandar degolar o Jorge no dia 23 de abril de 308. Foi um verdadeiro guerreiro da fé e lutou bravamente até o fim no seu propósito cristão e tal atitude teve tanta repercussão que serviu de exemplo para a conversão de diversas pessoas ao cristianismo, inclusive a esposa do próprio imperador.

 

O culto

Apesar das diversas lendas criadas em torno de São Jorge, ele foi nomeado padroeiro de muitos países como Inglaterra, Lituânia, Portugal e algumas regiões da Espanha e o que se tem conhecimento é que, para a Igreja Católica, o simbolismo do dragão pode ser visto como o mal e a sua vitória sobre ele representa a vitória por ter resistido as tentações do imperador Diocleciano em fazê-lo desistir de sua fé.


Independente das lendas e versões criadas, devemos celebrar e venerar São Jorge como um símbolo de força e mártir da fé cristã.

 

Oração à São Jorge

Ó São Jorge, meu Santo Guerreiro, invencível na fé em Deus, que trazeis em vosso rosto a esperança e confiança, abre meus caminhos. 

Eu andarei vestido e armado com vossas armas para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não peguem, tendo olhos não me enxerguem e nem pensamentos possam ter para me fazerem mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrarão sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão sem o meu corpo amarrar. 

Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estendei vosso escudo e vossas poderosas armas, defendendo-me com vossa força e grandeza. 


Ajudai-me a superar todo desânimo e a alcançar a graça que vos peço (pedido). 
Dai-me coragem e esperança, fortalecei minha fé e auxiliai-me nesta necessidade.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:50


História de São Gabriel Arcanjo

por John Soares, em 22.08.19

-o.jpg

 

História de São Gabriel Arcanjo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31


História de São Francisco de Assis

por John Soares, em 22.08.19

-o.jpg

 

História de São Francisco de Assis

 

São Francisco de Assis se tornou o santo dos Italianos, e aos 24 anos renunciou toda a riqueza para se dedicar a “Senhora Pobreza”.

 

Partindo em missão de paz em alegria ao Cristo pobre, casto e obediente, São Francisco trabalhava no campo, pregava, visitava e consolava os doentes. Por seu amor aos pássaros e dedicação à natureza também é conhecido como o padroeiro dos animais.
Ordem Franciscana.

 

A Ordem Franciscana foi criada como uma Ordem de Irmãos, que assumiam a missão de viver e pregar o Evangelho. Não era uma Ordem Clerical (Ordem composta por sacerdotes), como outras que já existiam. O próprio São Francisco de Assis não quis ser sacerdote e os primeiros frades também não tinham esse objetivo.

 

Desde o início da ordem franciscana, houve o ingresso de alguns sacerdotes já formados, que desejavam ser membros. Algum tempo depois, sobretudo quando Santo Antonio, professor de Teologia, ingressou na Ordem, pois adimirava o exemplo de São Francisco, passou a ensinar Teologia aos frades e alguns deles passaram a se ordenar sacerdotes.

 

Mais tarde, devido principalmente às necessidades da Igreja, a maioria dos frades passou a se ordenar.Mas até hoje, dentro da ordem Franciscana, convivem como irmãos, em igualdade de condições, frades sacerdotes e não sacerdotes (estes chamados outrora de irmãos leigos, por não serem sacerdotes),cada um exercendo a sua função, mantendo assim vivas os ideais de São Francisco.

 

Esse é, sem dúvidas, um dos aspectos mais belos da Ordem criada por São Francisco.
As Clarissas Francisco, além de fundar a 1ª Ordem Franciscana (masculina), foi também o fundador da 2ª Ordem Franciscana, conhecida também por Ordem de Santa Clara, abrindo assim a vivência do ideal franciscano para o ramo feminino.

 

A primeira religiosa franciscana foi a jovem Clara Offreduccio, mais tarde chamada de Santa Clara de Assis, jovem de família nobre e admiradora de São Francisco desde que o conhecera como “Rei da Juventude” pelas ruas e festas de Assis.

 

Passou a admirar São Francisco mais ainda,quando se tornou um inflamado pregador da alegria e da paz, da pobreza e do amor de Deus, não só através de palavras, mas com o exemplo de sua própria vida.Era isso precisamente o que almejava a jovem Clara. Não estava satisfeita com os esplendores do palácio de sua família, nem com o sonho do futuro enlace principesco ao qual seus pais a estavam encaminhando. Sonhava com uma vida mais cheia de sentido, que lhe trouxesse uma verdadeira felicidade e realização.

 

O estilo de vida dos frades a atraía cada vez mais.Depois de muitas conversas com São Francisco, aos 18 de março de 1212, (Domingo de Ramos), saiu de casa sorrateiramente em plena noite, acompanhada apenas de sua prima Pacífica e de outra fiel amiga,e foi procurar Francisco na Igrejinha de Santa Maria dos Anjos, onde ele e seus companheiros já a aguardavam.Frente ao altar, Francisco cortou-lhe os longos e dourados cabelos, cobrindo-lhe a cabeça com um véu,sinal de que a donzela Clara fizera a sua consagração como Esposa de Cristo.

 

Nem a ira dos seus parentes, nem as lágrimas de seus pais conseguiram fazê-la retroceder em seu propósito. Poucos dias depois, sua irmã, Inês, veio lhe fazer companhia, imbuída do mesmo ideal. Alguns anos após, sua mãe,Ortulana, juntamente com sua terceira filha Beatriz, seguiu Clara, indo morar com ela no conventinho de São Damião, que foi a primeira moradia das seguidoras de São Francisco.Com o correr dos anos, rainhas e princesas, juntamente com humildes camponesas, ingressaram naquele convento para viver, à luz do Evangelho, a fascinante aventura das Damas Pobres, seguidoras de São Francisco, muitas das quais se tornaram grandes exemplos de santidade para toda a Igreja.
 


Frases de São Francisco de Assis

  • “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível.”
  • “O que temer? Nada. A quem temer? Ninguém. Por que? Porque aqueles que se unem a Deus obtém três grandes privilégios: onipotência sem poder; embriaguez, sem vinho e vida sem morte.”
  • “Apenas um raio de sol é suficiente para afastar várias sombras.”
  • “Ninguém é suficientemente perfeito, que não possa aprender com o outro e, ninguém é totalmente destruído de valores que não possa ensinar algo ao seu irmão.”

 

Oração de São Francisco de Assis

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.
Amém!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:02


História de São José

por John Soares, em 22.08.19

-o.jpg

 

História de São José

São José era carpinteiro na Galiléia e marido da Virgem Maria, protetor da Sagrada Família, foi escolhido por Deus para ser o patrono de toda a Igreja de Cristo. Esteve ao lado de Maria em todos os momentos, principalmente na hora do parto, que aconteceu em um estábulo, em Belém. Educou e protegeu o menino Jesus, com o amor de Deus-Pai. São José foi um homem justo, trabalhador e exemplo de pai. A simplicidade e a fidelidade fizeram de São José o protetor escolhido para Maria e para o próprio Jesus, bem como para todos nós.
“O Anjo do Senhor manifestou-lhe, em sonho, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria como tua Mulher, pois o que nela foi gerado vem do Espírito Santo.” 


O significado do nome José

É “aquele que acrescenta”, “acréscimo do Senhor” ou ”Deus multiplica”. O nome José tem origem no nome hebraico, Yosef, que significa “Ele acrescentará”, referindo-se a Deus.


Terço de São José

Tomando-se um terço.

1) No lugar do Pai Nosso diz:-se: Meu glorioso SÃO JOSÉ nas vossas maiores aflições e tribulações não nos valeu o anjo do Senhor? VALEI-ME SÃO JOSÉ!

2) No lugar das Ave Maria diz-se: SÃO JOSÉ VALEI-ME!

3) No fim de cada dezena diz-se a jaculatória : JESUS, MARIA E JOSÉ.

Conclui se o terço com este oferecimento: A Vós, Glorioso São José, ofereço este terço e em louvor e glória de Jesus e de Maria, para que seja a minha luz, guia, minha proteção e defesa, minha fortaleza e alegria em todos os meus trabalhos e tribulações e principalmente na hora de agonia.

Pelo nome de Jesus, pela glória de Maria, imploro o vosso poderoso patrocínio, para que me alcanceis a graça que tanto desejo (pedido).

Falai em meu favor, advogai a minha causa no céu e na terra, alegrai a minha alma, para honra e glória vossa de Jesus e de Maria. Assim seja.

 

Oração a São José

A vós São José, recorremos na nossa tribulação, e depois de ter implorado o auxílio da vossa Santíssima Esposa, cheios de confiança, solicitamos o vosso patrocínio.

Por esse laço sagrado de caridade que vos uniu à Virgem Imaculada Mãe de Deus, e pelo amor paternal que tivestes para com o Menino Jesus, ardentemente suplicamos que lanceis um olhar benigno à herança que Jesus Cristo conquistou com o seu Sangue, e nos assistais, nas nossas necessidades, com o vosso auxílio e poder.

Protegei, oh! guarda providente da Divina Família, a raça escolhida de Jesus Cristo;

Afastai para longe de nós, oh! Pai amantíssimo, a peste do erro e do vício; assisti-nos do alto do céu, oh! nosso fortíssimo sustentáculo, na luta contra o poder das trevas;

E, assim como outrora salvastes da morte a vida ameaçada, do Menino Jesus assim também defendei agora a Santa Igreja de Deus contra as ciladas dos seus inimigos e contra toda a adversidade.

Amparai a cada um de nós, com vosso constante patrocínio, a fim de que a vosso exemplo e sustentados com o vosso auxílio, possamos viver virtuosamente, piedosamente morrer, e obter no Céu a eterna bem-aventurança.
Amém!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:47

Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D